As companhias e os treinamentos de suas equipes

Home / Dicas Jurídicas / As companhias e os treinamentos de suas equipes

 

Unir gestores e colaboradores em um único propósito é um dos objetivos dos treinamentos em empresas, tornando-os aptos a determinadas tarefas e funções. Assim, além de uma melhoria no desempenho individual, as companhias ainda conquistam uma equipe mais eficiente e cheia de propósitos.

Acontece que, segundo a revista Valor, o investimento de empresas em treinamentos cresceu apenas 1,2% globalmente, no último ano – valor menor que o crescimento do PIB global (3,3%). A justificativa das organizações para este comportamento se deve ao fato de que os treinamentos não têm significado, necessariamente, benefícios à empresa. É, na verdade, uma das melhores formas de capacitar concorrentes que, por vezes, “roubam” seus melhores profissionais, com ofertas de promoções e salários atrativos.

Nesse cenário, os funcionários se tornam responsáveis por se atualizarem, mas muitos ainda esperam por um retorno tanto de suas respectivas empresas, quanto do governo. E mesmo para os que têm interesse em investir em profissionalização, questões como falta de tempo e custos são impeditivos.

Contudo, essa prática tem sido danosa a todo mercado. Lidar com a falta de incentivo das companhias acaba inflacionando salários e aumentando a rotatividade de profissionais. Isto também causa um crescimento nos custos indiretos das empresas, com relação a produtividade de suas equipes.

Brasil, em meio a tudo isso, possui um dos mais altos salários executivos em relação aos padrões globais – mesmo em momento de crise. Com isso, o valor empresarial e social acaba destruído a longo prazo.

Fonte: Site da Aguiar Toledo & Frantz